Perguntas sobre

canal dentário

10

por Dr. Alessandro Araújo Coelho

O tratamento de canal é um dos procedimentos odontológicos que mais geram ansiedade aos pacientes. Através de algumas perguntas frequentes, tentarei trazer algumas respostas que ajudarão a desvendar alguns mitos sobre o tema.

 

Por que tenho que fazer “canal”?
Primeiramente seria interessante conhecermos a estrutura do nosso dente. A porção mais externa (aparente no sorriso) é o esmalte dentário, mais internamente temos a dentina e logo após temos a polpa (porção nervosa). A cárie dentária atinge inicialmente o esmalte, na sequência a dentina e, após, a polpa. Quando a polpa é atingida pela cárie, um processo inflamatório irreversível se inicia e o tratamento de canal torna-se necessário. Outros motivos também podem promover a inflamação pulpar, como trincas dentárias, traumas, entre outros.
 

A dor de dente severa é o único indicativo da necessidade de tratamento?
Não, algumas vezes podemos não ter dor e o dente necessitar de tratamento de canal.
 

Como é o tratamento?
O cirurgião dentista (endodontista) remove a polpa inflamada com instrumentos especializados e preenche o espaço 'vazio' com materiais específicos.

 

O tratamento dói?
As técnicas de anestesia e os anestésicos utilizados atualmente têm grande capacidade de prevenir a dor, derrubando o mito de que tratamento de canal dói. 

 

Quantas vezes preciso ir ao dentista para fazer o canal?
Os tratamentos de canal em sua grande maioria são realizados em uma única sessão, graças à implantação de novas tecnologias e ao maior conhecimento biológico da área envolvida.

 

O dente escurece após o tratamento?
Não. Antigamente era achado comum encontrarmos dentes escurecidos após o tratamento de canal, o que não ocorre atualmente.

 

O canal só é “feito” uma vez?
Não obrigatoriamente. Algumas condições podem exigir nova intervenção do endodontista em dentes com tratamento de canal prévio.

 

Quais as novas tecnologias utilizadas no tratamento de canal?
Algumas delas são o microscópio odontológico, sensores de radiografia digital, aparelhos eletrônicos que medem o comprimento real do dente, instrumentos (limas) confeccionados com materiais mais flexíveis e resistentes, tomografia computadorizada, entre outras.

 

E se eu optar por não tratar o dente?
É bom termos o conhecimento de que no início do processo temos um dente com uma inflamação leve, de resolução simples, mas que se não tratada pode tornar-se um quadro infeccioso severo, podendo causar sérios riscos à saúde geral.

 

Como posso prevenir problemas dentários que coloquem em risco minha saúde geral?
Algumas recomendações importantes são: a necessidade de visita periódica ao cirurgião dentista de sua confiança, manter hábitos alimentares saudáveis (evitando sempre que possível os açucares) e manter cuidados com a higiene bucal.

Dr. Alessandro Coelho

Especialista e Mestre em Endodontia

Dra. Milena Lisso Coelho

Especialista em Ortodontia e 
Ortopedia Funcional dos Maxilares

©2018 desenvolvido por Gustavo Matheus