Barbeiros de Itapê

ORIGEM
A profissão de barbeiro deve ter surgido na Grécia Antiga, época de grandes mitologias e que até hoje fazem parte da história da humanidade. Conforme pregam os contos da mitologia grega, a preocupação de figuras como Apolo (Deus das artes, da música), Ares (Deus da guerra) e Arquimedes, em relação a estética, levou à necessidade de um espaço exclusivo e adequado para o tratamento da beleza, incluindo os cuidados capilares e do rosto.
PRIMÓRDIOS
Nos séculos XVII e XVIII, os barbeiros eram profissionais que viajavam pelas províncias oferecendo seus serviços que incluíam corte de cabelo, sangrias, extrações dentárias, cirurgias, benzedura, venda de raízes, conselheiro social, eram considerados os curandeiros da sociedade, remédios afrodíseos, dentre outras coisas. Como sujeitos em trânsito, os barbeiros levavam notícias, histórias, causas e acontecimentos variados, vividos por eles nas localidades.
HABILIDOSOS
Por terem grandes habilidades manuais, os barbeiros faziam também extrações dentárias, porque à época ainda não existia a odontologia e muitos cirurgiões na maior parte, cirurgiões práticos não intervinham na boca das pessoas, por receio ou por desconhecimento de que isso seria possível.
PAPOS
As barbearias ficaram marcadas como lugares de encontro como uma espécie de 'clubes para homens', onde desfrutavam de compromissos com longas conversas sobre filosofia, política, futebol ou assuntos comunitários. Local para discussão dos fatos, boatos e fofocas. E assim é até os dias de hoje.
AGORA 
Os novos tempos trouxeram às barbearias as infindáveis modificações e variedades. Algumas se transformaram em Salões de Estéticas, Cabeleireiro unisex, etc. Nas barbearias passaram diversas gerações de homens em busca de um bom corte de cabelo, aparo suave da barba, boa conversa e ajuda para as suas aflições, dúvidas e males. Devemos valorizar e preservar esses espaços de cultura, entendendo todo o seu significado histórico, social e cultural.
MITO?
Até hoje ninguém conseguiu provar que haja alguma relação entre as fases da Lua e o corte de nossas madeixas. Mas, se o astro influi até nas marés, por que não acreditar que ele possa ajudar os fios da cabeça a crescer?

Áureo Cardoso do Amaral
Talvez o barbeiro mais antigo de Itapetininga. Começou na profissão em 1943 em Guareí, onde nasceu. Lá conheceu sua esposa a jovem costureira Maria Aparecida Bodo. Casaram-se em 1948 e tiveram 3 filhos, 7 netos e 8 bisnetos. Aportaram na Terra das Escolas em 1962. Aqui continuou na profissão montando seu salão na Rua Quintino Bocaiuva onde aposentou-se em meados dos anos 90.

Agenor Leme de Camargo
Começou na profissão em 1970. Antes foi chefe de seção de teares na extinta Tecelagem Fiação Rosa. Por algum tempo trabalhou gerenciando 4 cadeiras no Salão Big Jovem - ao lado do CRI. Em 2000 montou seu próprio salão, Av. Darcy Vieira, e está trabalhando até os dias de hoje. Casou-se com Da. Maria da Luz Azevedo Camargo, possuem 3 filhas e 4 netos.

Ailton Oliveira Santos
Começou na profissão como funcionário no Salão Spor Cab em 1985 em São Paulo. Lá estudou, aperfeiçoou-se e montou um salão em Avaré. Em 1997 mudou-se para Itapetininga e transferiu seu salão para a Av. Prof. Francisco Válio onde trabalha até os dias de hoje. Aqui casou-se com a Profa. Eloísa Corina Palongan Oliveira Santos, possuem 2 filhos.

Paulo Enes de Oliveira
Mineiro nascido em Juiz de Fora iniciou no ofício Visconde do Rio Branco, MG, em 1967. Em sua cidade natal trabalhou 6 anos e aportou em Itapetininga em 1972, sendo um dos titulares das 4 cadeiras do Salão Big Jovem. Já em 1973 adquiriu seu próprio salão. Está na labuta há 51 anos, casou-se e possui 4 filhas e 5 netos. Atualmente atende seus clientes à Rua Cel Afonso.

Narciso Teles Camargo
Abriu sua barbearia no Mercado Municipal no ano de sua inauguração - 1959 - Mas desde 1956, no Bairro Capão das Antas, já cortava cabelos de casa em casa. Várias vezes em praças na cidade e, quando a sede do Tiro de Guerra localizava-se na Praça Peixoto Gomide - onde foi a garagem da Cometa - ia cortar cabelos dos atiradores. Casado com Da. Evani Florinda Teles, possuem 1 filho.

Geraldo Toledo

Veja o perfil >

Querida Itapê

"Do que fôra a capela de outrora, marco erguido em manhã de ouro-azul, nossos olhos contemplam agora, esta jóia que é a Atenas do sul" - assim começa o Hino de Itapetininga. Outro verso continua com. "Teu valor, tua grandeza presente, que teus filhos, lutando forjaram, é o fruto da opima semente que ...plantaram!"

Odontólogos

Há um sorriso para cada momento. E para essa matéria um especial para homenagear os profissionais que realmente nos deixam de boca aberta.

Querida Mulher

A mulher é vida. Ela dá vida. Ninguém espelha tanto a esperança quanto a mulher, ninguém!

Please reload

©2020 desenvolvido por Commark Comunicação e Marketing