O colégio Imaculada Conceição, prestes a comemorar seu centenário, continua inovando e com foco na educação de qualidade.
Um precioso projeto pedagógico vai prestigiar os alunos do Ensino Médio que se destacaram pela qualidade de suas redações, com o lançamento de um livro digital –e-book–, com 20 redações criteriosamente selecionadas.
O projeto é resultado da habilidade da professora Ana Maria Silva Pacífico, titular da disciplina de Língua Portuguesa. No Imaculada desde 2006, mas professora desde 1989, ela tem a prática de criar um “Caderno de Redação”, para prestigiar os melhores textos produzidos por seus alunos ao longo do ano. Agora, pela primeira vez, as melhores redações serão eternizadas sob a forma de livro digital – com alcance incalculável e importantíssima conquista para os alunos selecionados.
Nesta primeira edição, 14 alunos foram selecionados com 20 redações. A profª Ana Maria explica que, após revisão da parte pedagógica e conceitual (gênero textual) ela lê em sala de aula e os próprios estudantes fazem a 'eleição' do melhor texto, transformando a atividade em lúdico método de aprendizado.
“O 'Caderno de Redação' é uma maneira de motivar os alunos, incentivando-os à prática da leitura e da escrita e ainda debater temas da atualidade presentes nos principais vestibulares do Brasil”, contou a professora idealizadora do projeto.
Entre os temas, estão 'Bullying na Escola', 'A Importância da Literatura', 'A Revogação do Estatuto do Desarmamento', 'Gravidez na Adolescência', 'Suicídio entre Jovens'... e, também, crônicas reflexivas, com temas bastante instigantes, como Sonhos, Amizades, Altruísmo, etc.
Antes mesmo do lançamento do e-book, a Revista Top da Cidade teve acesso e tomou a iniciativa de antecipar-se e publicar uma das redações selecionadas, da aluna Paula Maria de Oliveira, do 1º ano do Ensino Médio, com os nossos elogios aos alunos, à professora e à direção pedagógica da escola que valoriza esta iniciativa tão importante.

É meia-noite e, de um instante para o seguinte, uma corrente elétrica transforma a cidadezinha colonial, imersa em sombras, em um mar de pequenas luzes vermelhas, verdes e brancas, que constroem silhuetas de árvores, estrelas cadentes e estátuas angelicais; enquanto flocos brancos, empréstimo estadunidense tão sutilmente incorporado pelo comércio, caem sobre casais apaixonados; também deixam crianças estupefatas e famílias reunidas em um abraço.
Em um dos restaurantes, que agora reluzem, um senhor negro toca jazz no saxofone, acompanhado por uma jovem cantora, cuja voz quase se perde em meio aos vivas, risadas e brindes bradados por aqueles que viajavam até a vila euro-italiana para celebrar a tradição em uma atmosfera harmoniosa.
A multidão toma as ruelas em um fluxo contínuo e, por todo lado, sente-se a profusão de aromas que emanam das cantinas, bistrôs e churrascarias: queijos e chocolates derretidos, carne assada na brasa e os diversos perfumes das ceias fartas. No centro de cada rua, canteiros de flores, pinheiros decorados e arcos cintilantes se sobressaem às casas germânicas em enxaimel pelos telhados íngremes de madeira escura. 
Da alta igreja gótica, com milhares de tijolos negros sobrepostos, ouvem-se cantos gregorianos, que saúdam o renascimento da Esperança, que floresceu sob a égide de um império opressor, em um austero deserto. Normalmente cinzenta, como a existência terrena, hoje é o prédio mais iluminado, revestido em púrpura e banhado por dourado, dotado de esculturas, vitrais celestes e um caminho de espelhos. 
Seus organizadores nomearam este evento “Natal Luz”, devido aos esforços para tornar Gramado um símbolo vivo da energia e das alegorias que, para o fim de um ciclo anual criamos; no entanto é a aconchegante alegria que impressiona. Não haverá dúvidas ou querelas nesta noite, mas sim reflexões e retrospectivas; afinal, o que seria do homem sem seus festivais, oportunidade para aliviar seu espírito e enxergar, no horizonte, o raiar de um futuro promissor.

 

 


• A Luta das Mulheres pela Liberdade, Paula M. Laureano Rodrigues de Oliveira, 1º ano
• A Velha Casa Abandonada, Vitória R. C. Ferreira, 1º ano
• Capitalismo do Futuro, Ana Flávia Manfredini de Araújo, 3º ano
• Precisa-se de Uma Luz para um Caminho sem Volta, Geovana Tomasetto, 3º ano
• Movimentos de Todo o Mundo, Amanda Vaz de Abreu, 3º ano
• Uma Gota por Dia, Nicole Moraes, 2º ano
• Tecnologia Transformando, Vitória C. Ferreira
• Leitura como Agente Transformador, Paula Maria R. L. Oliveira, 1º ano
• Violência Implícita, Júlia Garcia Fator, 1º ano
• Onde vamos Parar?, Jordana Aparecida Vieira, 2º ano
• Gravidez de Ordem Social, Ana Laura Garcia, 2º ano
• A Insignificância da Empatia, Victor Nunes Crucillo, 3º ano
• Crueldade, Rosália Helena Medeiros, 1º ano
• Direito para Matar?, Carlos Eduardo Barros de  Farias, 3º ano
• Legal ou Imoral?, Luíza Maria Riedel Medeiros, 3º ano
• Nossa Querida Coletiva Individualidade, Nicole Moraes, 2º ano
• Sonhos, Carlos Eduardo Barros de Farias, 3º ano
• Marcas da Amizade, Giovanna Nanini, 3º ano
• Bem-Aventurados os Que Sonham, Amanda Vaz de Abreu, 3º ano
• Lugar Inesquecível, Paula Maria L. R. Oliveira, 1º ano

Colégio Imaculada Conceição   lança e-book

com melhores redações de alunos

Uma conspiração de amor

As 20 redações:

©2018 desenvolvido por Gustavo Matheus