Diabetes e hipertensão arterial: 
Os vilões da doença renal

São mais de 450 milhões de pessoas diabéticas pelo mundo, e cada ano que passa este número cresce, e segundo os dados da Sociedade Brasileira de Nefrologia sabemos que cinquenta por cento dos pacientes em dialise tem diabetes.

 

Diabetes e hipertensão arterial são as doenças mais comuns que podem levar a perda da função renal (doença renal crônica) e necessidade de diálise (suporte dialítico).
A doença renal crônica possui 5 estágios, sendo o último aqueles que apresentam menos de 15% dos dois rins funcionando ou a necessidade de suporte dialítico. 

 

A perda da função renal é lenta, gradual, irreversível e no início pode não apresentar sintomas específicos. Quando já avançada a perda da funcionalidade dos rins pode vir acompanhada de inchaço no corpo, diminuição na diurese, dor óssea, perda de apetite e anemia. Também pode cursar com o aumento de sais no organismo como o potássio no sangue, elevando o risco de arritmias e até parada cardíaca, sendo necessário em alguns casos até diálise de emergência.
Outros fatores que interferem também nestas duas doenças crônicas e podem levar a perda da função dos rins são: obesidade, excesso de sal na alimentação, fatores genéticos, tabagismo, infecções urinárias e uso de anti-inflamatórios por tempo prolongado.

 

Assim destaca-se a importância de cuidar bem da pressão arterial e do diabetes com uso correto das medicações, exercícios físicos e alimentação saudável.
 Consultar seu médico sobre o funcionamento dos seus rins, avaliar se suas medicações não estão prejudicando os mesmos e procurar ajuda do nefrologista o quanto antes para que evite a progressão da doença.

Dra. Christiane A. Kojima
Crm 134804

Clínica Médica e Nefrologista com mestrado pela Unesp - Botucatu


15 3271-1277

Rua Prof. Virgílio Silveira, 385 - Jd. Itália - Itapetininga/SP

©2020 desenvolvido por Commark Comunicação e Marketing