Luis Carlos Person

O golfista cego

Na verdade, é paulistano, mas já adquiriu cidadania itapetiningana por residir aqui em nossa cidade há mais de 20 anos.
“Chegou chegando”, como se diz... Empreendeu no agronegócio, nas áreas de pecuária de corte e leite, apicultura e agricultura, cursou a primeira turma de Agronegócio na Fatec, desenvolveu pesquisas em biocombustíveis, partiu pro Mestrado na FGV, continua atuando em pesquisas científicas e projetos de desenvolvimento sócio-econômico-ambiental... Parece incansável!

 

No esporte, sua vida nunca foi sedentária. Ao contrário: praticou hipismo, tênis, squash, esqui aquático, windsurf, caça submarina, natação, foi piloto de lancha e... ufa!
Sua inquietação não o permitiu interromper a vida dinâmica mesmo após a evolução de uma degeneração da retina, que lhe retirou a visão, aos poucos e que, em 2010, levou à perda total.
“Diminuíram as opções de prática de esporte, mas não acabaram!”, conta com entusiasmo.

 

O condomínio Lago Azul, em Araçoiaba, é praticamente um residencial que nasceu no entorno de campos de golfe.
E foi lá que Person convidou o experiente técnico Juan Leiva a treiná-lo. “Era meu sonho”, aceitou, desafiante, o técnico.
Há 5 anos Person iniciou seus treinos; interrompeu (seguramente para abraçar mais algum projeto) e, há cerca de 6 meses dedica-se com afinco e dedicação, inclusive já participando de campeonatos.

 

Visão estratégica
É a dúvida de todos – inclusive deste repórter. “Como jogar golfe sem enxergar?”. Ele explica que conta com a ajuda do técnico ou do caddie (o carregador da bolsa com os tacos do golfista). Eles identificam a posição da bola e a direção do buraco. Mas a postura, a força, a escolha do taco, a estratégia... enfim, o “talento” fica por conta do jogador Person.
O golfe é uma modalidade esportiva que pode ser praticada em torneios individuais ou em equipe, mas cujo desempenho de um, não interfere diretamente no companheiro de jogo.
Além de competir junto com outros jogadores, o golfe permite excelente envolvimento social, qual seja que entre um buraco e outro, haja intervalos para uma boa e relaxante conversa.
Costuma-se caminhar entre 12 a 13 km em uma partida – que pode chegar a durar até 5 horas!

 

Equipamentos
Entre tacos de ferro, alumínio, titânio, kevlar ou híbridos, os equipamentos do praticante de golfe são encantadores.
Entre os gramados mais lindos e bem cuidados que se possa imaginar, os jogadores e assistentes circulam entre carrinhos elétricos, sapatilhas especiais, luva (apenas para a mão esquerda), taqueira (saco) para os tacos, bolas... É um esporte romântico e glamouroso, e que exige preparo físico e domínio da postura.
Para Person, um novo desafio! Mais um a ser superado, já que a falta de visão já é assunto bem compreendido.
No Brasil não há cegos que pratiquem golfe – ainda que nos Estados Unidos haja até associações que reúnem os praticantes com deficiência visual.
Alguém tinha que ser o primeiro e, de mais essa inovação, Luis Carlos Person não tem medo!
 

©2018 desenvolvido por Gustavo Matheus