O Museu Ferroviário de Itapetininga, localizado no Clube Atlético Sorocabana de Itapetininga (Casi), foi reaberto em 18 de setembro após decisão judicial favorável a Carlos Eduardo dos Santos, que até maio era administrador do museu. Carlos Eduardo havia sido expulso da administração do museu depois de um imbróglio entre ele e a então administradora do Casi, Maria Edenir, com troca de fechadura das portas e até ameaças de agressão.

    Com a decisão judicial, Carlos Eduardo volta a ter responsabilidade pelo museu, além de receber o comando do clube também. “Encontramos o museu todo desarrumado. Tinha uma cadeira de mais de 100 anos do lado de fora, sob a chuva e sol. Agora é arrumar para voltar abrir o mais rápido possível”, disse, preocupado com possíveis extravios de peças históricas.

    Com a ordem judicial nas mãos do advogado Eduardo Bicudo, o administrador do museu precisou chamar um chaveiro para abrir o museu. O presidente do Instituto Geográfico Genealógico Histórico de Itapetininga (IGGHI), Giovani Ferrari, compareceu e deu boa sorte ao novo administrador. “Estou torcendo para que se resolva e que o museu reabra o quanto antes”, comentou.

     O secretário de Cultura de Itapetininga, Beto Hungria, também foi ao local acompanhar a reabertura do museu. “O trabalho na área jurídica foi pessoal, participei como cidadão, não como secretário municipal. A prefeitura é parceira do museu, temos interesse em preservar o espaço e as relíquias. Estamos somando forças para preservar o patrimônio”, completou.

 

Outro lado

   O advogado de Maria Edenir, João Ricardo, afirma que tentarão com Carlos Eduardo Santos uma negociação referente à administração do clube. Segundo o advogado, Maria Edenir teve como maior objetivo a preservação do patrimônio do clube durante todos seus anos como presidente, desde 2012. Ressaltou também que foi durante a gestão dela que o Casi conquistou o terreno em que já está instalado, por meio de uma disputa judicial de usucapião.

 

    Para exarar a decisão, o Poder Judiciário aceitou os argumentos de suposta irregularidade na gestão do Casi, uma vez que estaria sem realizar assembleias e eleições entre os associados contribuintes – em número desconhecido.

A reabertura do museu contou, ainda, com apoio da imprensa local, que acompanha o assunto e levou representantes da TV Tem, do jornal Correio de Itapetininga e desta Revista Top da Cidade.

MUSEU FERROVIÁRIO

É REABERTO

©2020 desenvolvido por Commark Comunicação e Marketing