Ovário policístico

Trata-se de uma condição endócrino-ginecológica que provoca a formação de pequenos cistos nos ovários, fazendo com que eles aumentem de tamanho e tenham sua função prejudicada.
Sua causa não está totalmente esclarecida, mas existe a hipótese que tenha origem genética. Estudos também indicam uma possível ligação entre a doença e a resistência à ação da insulina no organismo.
É uma das alterações mais comum na idade fértil, podendo acometer de 7 a 20% das mulheres nesta fase.
Os principais sintomas incluem atrasos/ausência da menstruação, aumentos de pêlos (sobretudo no rosto, mamas e abdome), acne, obesidade e infertilidade. Pode predispor a diabete e doenças cardiovasculares.
Nem todas as pacientes apresentam todos os sintomas, e o quadro pode variar de pessoa para pessoa.
O diagnóstico é feito durante a consulta ginecológica, através da história clínica e exame físico. Normalmente são solicitados exames complementares (US ginecológico e exames de sangue). Através do US podemos perceber ovários com volume aumentado e com presença de diversos pequenos “cistos” (usualmente mais que 10) ao mesmo tempo na periferia dos ovários. Pode acometer um ou ambos os ovários.
O tratamento se baseia em orientações sobre hábitos de vida (dieta/exercício) e prescrição de medicamentos, e deve levar em conta o desejo ou não da paciente engravidar naquele momento.

Dra. Andrea Geraldini Álvares
- Ginecologista

 

Rua Cônego Sizenando da Cruz Dias, 690
Centro - Itapetininga

(15) 3273-1646

Educação

Nada mais é que um processo de socialização que visa uma melhor integração do indivíduo na sociedade ou no seu próprio grupo, porem é preciso praticar isso todo dia, pois é o tipo da receita mais mutante que há.

Comer bem: Sentir-se Bem

​Uma alimentação saudável proporciona qualidade de vida, pois faz nosso corpo funcionar adequadamente respondendo a todas as funções e é uma das melhores formas de prevenção para qualquer doença. Leia sobre esse asunto

Please reload

©2018 desenvolvido por Gustavo Matheus