Azulados

Azulados, os raios riscam a imensidão do céu.
Onde havia alguma luz, as nuvens densas e negras
Dominam, e a tempestade sem piedade cai impetuosa
Formando rios que correm a esmo pelo chão gretado,
Seguindo em direções diversas sem um destino certo.
Essas gotas jamais se encontrarão novamente ...
Onde a eternidade de cada uma é um segredo.
A manhã, tranquilamente resolve despontar
Rastejando pelo céu agora lavado pela chuva.
As flores, inundadas de vida, de sol e de água
Nos seus botões aflitos por conseguir desabrochar,
Dão seu perfume ao dia que finalmente nasceu.
Zumbem as abelhas e fazem o seu trabalho divino
De dar continuidade à vida de cada espécie
E estas, o de embelezar a vida de quem as vê
Em nossas vidas, raramente pensamos assim
Algum acontecimento ruim, uma tempestade
Indo embora dando lugar a algum outro bom.
Do nosso destino só Deus sabe realmente
Hoje é um presente, ontem saudade, o amanhã surpresa

Cecília Fogaça

Polícia Militar

Nossa Polícia Militar!
Histórias de tantas galhardias
Que rompe as barreiras do tempo, 
E desde o passado – TOBIAS 
Até hoje um só sentimento;
Seus ideais sobrepujam, 
Ante a iminência do medo, 
Seu brasão com cores de esperança
É a essência de seu segredo;
Há sempre lealdade da sua constância, 
A marcha do seu juramento 
De transpor todas as muralhas. 
Às vezes tomba um herói, 
Vestindo sua bandeira de mortalha; 
Como tributo dessa fibra aguerrida 
Esta Paulista secular
Que concebeu um feto honrado,
Oh! Briosa corporação:
De pares nunca igualados,
No cumprimento de cada missão. 

Claudinei Bento

©2020 desenvolvido por Commark Comunicação e Marketing