Venha para Itapê! Nossa cidade é Top!

Atualizado: Out 22

A história da cidade de Itapetininga pode ser dividida em três fases: a do nascimento (época dos Tropeiros); a fase do auge político e cultural (Fernando e Julio Prestes); por fim, a fase da modernidade (iniciada há cerca de 10 anos).


Itapetininga está distante apenas 170km no maior centro populacional e econômico da América Latina, a capital paulista, e possui o 3º maior município do Estado de São Paulo em extensão territorial. A localização é privilegiada e a coloca no centro das opções de oportunidades de expansão da já saturada megalópole paulista.


Potencial

Certa feita, um grande empresário optou por investir em Itapetininga. Indagado por nossa reportagem sobre as razões da escolha da cidade, ele deu a luz para todos nós: “não é pelo que Itapetininga representa hoje; é pelo potencial de desenvolvimento que a cidade representa no futuro!”.


Amadurecimento

A cidade vive momento de transformação há cerca de 10 anos. Deixa alguns hábitos de 'cidade pequena' para entrar em um processo de modernização – sem, por ora, encontrar os problemas das grandes cidades, como violência urbana ou problemas de tráfego, por exemplo.


PIB Agrícola

Além de polo comercial e de serviços, sendo referência para as demais cidades da região, com uma grande vocação agrícola e vasta extensão rural, Itapetininga produz e está os maiores PIB do agronegócio paulista e nacional.


Oportunidades

Hoje, com o amadurecimento do mercado, as portas se abrem para as boas oportunidades – e os bons investidores. Já não resistem as poucas áreas de reservas de mercados ou segmentos em que famílias detinham o domínio.


A extensão territorial – oportunidade para produtores rurais e investidores no agronegócio.


Ambiente urbano permite expansão 'para todos os lados'! Estamos cercados de estradas duplicadas – sentido Capital, Campinas ou em direção ao Sul do País.


Gente que fez e faz!


Tudo começou com pouso de tropeiros que, nos caminhos do Sul, no comércio de muares, fundavam vilas e pousos como pontos de descanso.


Existem referências de que o primeiro núcleo de tropeiros teria surgido em 1724. Em 1760, um grupo de portugueses, chefiado por Domingos José Vieira, deixou o primeiro núcleo (hoje bairro do Porto) e formou outro, em um local alto e circundado por dois ribeirões.


Lendas de Itapê: teria havido uma disputa entre os dois núcleos. Simão Barbosa Franco foi nomeado para fundar a administrar o novo povoado, cabendo a ele a escolha do núcleo principal. Historiadores contam que uma mula ruana, marchadeira, ofertada como presente a Simão Barbosa, garantiu a vitória de Domingos José Vieira.


Assim, nascia a vila de Nossa Senhora dos Prazeres de Itapetininga, oficialmente criada no dia 5 de novembro de 1770. É nessa data que convencionou-se comemorar o aniversário da cidade, que mais tarde ficou conhecida como Itapetininga.


Além de Simão Barbosa Franco e Domingos José Vieira, soma-se Salvador de Oliveira Lima - o "Sarutayá"- entre os fundadores históricos da cidade, já que foi o segundo capitão-mor de Itapetininga (o primeiro foi Domingos José Vieira).


Auge político-cultural: Julio Prestes Presidente!


No final do séc. XIX, Itapetininga já teve papel importante no movimento republicano. Fernando Prestes carrega em sua biografia a marca de ter sido sempre um republicano convicto, dedicando-se a causa em sua cidade, Angatuba, então distrito de Itapetininga. Na época, pode-se considerar como um importante centro difusor e de propaganda das ideias republicanas defendidas por ele, o Gabinete de Leitura de Itapetininga, o qual era liderado por Venâncio Aires. Quando ocorreu, em 1889, a proclamação da república, derrubando o então imperador Pedro II, Fernando Prestes de Albuquerque já era um dos principais líderes republicanos da região. Virou o ano 1900 como presidente do Estado.


Em 1924, a capital paulista foi palco do maior conflito urbano da história do Brasil – a chamada Revolução Paulista de 1924. Itapetininga e Cel. Fernando Prestes de Albuquerque voltam a ocupar papel importante na história.


A importância de Itapetininga era tanta, que Fernando Prestes 'costurou' a carreira o filho, Julio Prestes de Albuquerque, para ocupar a presidência da República, interrompendo o ciclo do 'Café com Leite', entre São Paulo e Minas.


Daí veio a traição de Getúlio Vargas e o Golpe de 30... outra longa história...

O fato é que, os acontecimentos de 1930 encerraram um ciclo de inovação, modernidade e auge cultural de Itapetininga.


Itapê chega aos 250 anos, com ares de retomada do desenvolvimento, a inclusão digital já praticamente estendida a todos os rincões do município, à retomada do título de 'Terra das Escolas' – com diversas unidades educacionais conquistadas nos últimos anos e, principalmente, com a conclusão recente das duplicações das estradas.


Itapetininga é, definitivamente, uma cidade de grandes oportunidades!

Curiosidades sobre a história de Itapê


Largo dos Amores: a lembrança do 'footing'


Oficialmente, é Praça Marechal Deodoro da Fonseca; para o itapetiningano, é Largo dos Amores.


Ponto central da cidade, defronte ao Clube Venâncio Ayres, com uma bela fonte luminosa ao centro. Foi palco do famoso 'footing' – nome dado à prática de circular a praça: meninos em um sentido; meninas no inverso... ao cruzar de olhos, as paqueras...


Também chamada de 'Praça dos Bancos', foi local de eventos políticos, cívicos e sociais....


Ainda é ponto de passeio de famílias, principalmente nas noites quentes de Verão...

Largo dos Amores: a lembrança do 'footing'


Catedral Nossa Senhora dos Prazeres


No blog do prof. José Luiz Nogueira, aprendemos que, no dia 16 de maio de 1885, badalaram pela primeira vez os sinos da imponente torre da nova Igreja Matriz de Itapetininga, construída na gestão do Padre Francisco de Assunção Albuquerque, falecido em 1878.


Um dos maiores templos católicos do Estado de São Paulo. A igreja fica na área central da cidade, bem no ponto chamado de marco zero do município. São mais de dois mil metros quadrados de construção.


A Catedral é um templo de estilo romano, com formato de cruz latina, com uma torre do lado direito e o batistério do lado esquerdo.


O lançamento da pedra fundamental da igreja foi em 16 de setembro de 1945, por Dom José Carlos de Aguirre e o Padre Antonio Brunetti, que foi o idealizador da obra.


O projeto da igreja é do arquiteto Benedito Calixto, autor de mais de 300 projetos de igrejas no Brasil, inclusive a Basílica Nacional de Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida/SP, considerada a maior igreja do Brasil.


A construção da igreja de Nossa Senhora dos Prazeres durou mais de 20 anos e grande parte dela foi executada e terminada posteriormente na gestão do Cônego Luiz de Almeida Moraes.


Os símbolos do catolicismo estão presentes em todos os cantos da igreja. São três arcos centrais e três portas em cada nave, uma referência à Santíssima Trindade, ou seja, Pai, Filho e Espírito Santo.


As laterais com colunas e arcos se voltam ao centro, onde fica o altar mor e a cúpula. A cúpula octogonal e os oito degraus do altar indicam o infinito.



Abílio Victor: o Nhô Bentico, o pai do Pitoco.


O poeta Nhô Bentico nasceu em Itapetininga em agosto de 1899. Foi carpinteiro, tipógrafo, trabalhou em jornais da cidade, foi gerente de cinema e radialista, onde se consagrou popularmente, e notabilizou-se como um dos maiores poetas sertanejos, de sucesso nacional, a partir de seus programas na PRD-9 – Rádio Difusora de Itapetininga.


Compôs vários poemas, ainda hoje muito conhecidos, com textos bem trabalhados com ricas rimas e muitas vezes engraçados. Ficou conhecido como 'Nhô Bentico - o poeta caboclo'.


Ouvir Rolando Boldrin, entoar, com emoção, ao poema 'Pitoco', ainda faz muita gente de Itapê chorar...


“Pitoco era um cachorrinho

Qu'eu ganhei do meu padrinho

Numa noite de natá-“


Anésia no ar! Uma das primeiras aviadoras do mundo!


Anésia foi para São Paulo em 1921, com apenas 17 anos, para fazer o curso de pilotagem aeronáutica. Realizou seu primeiro voo solo em março de 1922, pilotando um biplano Caudron G.3.


Anésia conseguiu seu brevê, de número 77, no dia 9 de abril de 1922, pelo Aeroclube do Brasil, tornando-se a segunda mulher a ter a licença no pais. A primeira foi Thereza de Marzo, que teve o mesmo instrutor que Anésia. Elas realizaram o voo solo no mesmo dia, mas Thereza conseguiu o brevê de número 76.


“O meu desejo de voar talvez seja fruto do meu anseio, sempre cada vez mais intenso, de me elevar, de sair da banalidade do viver comum. A vida corriqueira não me satisfaz; ando sempre em busca de alguma coisa nova”, Anésia Pinheiro Machado.



Largo do Rosário e a Igreja Nossa Senhora do Rosário



Os historiadores contam que, após a abolição da escravatura, tornou-se o templo preferido dos negros da cidade para suas orações.


A Igreja do Rosário, a mais antiga construção em taipa de pilão, inaugurada em agosto de 1873 foi construída com donativos da população tendo Antônio Florêncio de Azevedo, o “Mestre Florêncio”, como o maior incentivador.


Em seus primeiros tempos, dada a separação existente, através do piso da nave (para os negros) e das galerias (para os brancos) a igreja passou a ser frequentada por ambos. Isto perdurou durante todo o tempo em que a nova Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Prazeres estava sendo construída.


Nesse período houve um branqueamento da 'Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos', fato este que perdurou até 1885, quando foi inaugurada a Matriz de Nossa Senhora dos Prazeres, quando os brancos passaram a frequentar a nova Igreja, deixando a do Rosário para os pretos.


No entanto, a existência de uma telha com os dizeres "enfornada em 1840", descoberta na reforma de 1934, trouxe algumas dúvidas para os nossos historiadores.



O Poeta do Monte Santo no Guiness Book


O poeta Edson de Abreu Souza fixou residência no bairro do Monte Santo, onde era conhecido como "poeta" pelos vizinhos e inumeráveis amigos.


Escreveu centenas de poesias, dezenas de músicas, valsas, sambas, marchinhas carnavalescas, toadas sertanejas, etc...


Quando não tinha seu trabalho editado ou gravado, o poeta divulgava-o da forma mais primitiva e original: recitando e cantando aos ouvintes, em pontos de ônibus, filas de banco, feiras ou mesmo nas praças da cidade.


Em 1995, houve o lançamento do livro "O Poeta de Monte Santo" – que o inseriu no famoso Guinness Book - O livro dos Recordes, como o escritor brasileiro mais idoso a publicar seu primeiro livro, com 89 anos e 7 meses de idade.



Teddy Vieira: o “Menino da Porteira” é nosso!

Fez o curso primário em Itapetininga e os estudos secundários em São Paulo. Fez a primeira composição aos 18 anos. Aos 22 começou a trabalhar na Colúmbia, da qual foi diretor artístico. Em 1956, passou a ser diretor sertanejo da Colúmbia. Em 1958 Teddy passou a gravadora Chantecler.


Viveu durante algum tempo em Andradas, MG, onde conheceu, apaixonou-se e se casou com América Risso.


Faleceu em 16 de dezembro de 1965, em seu Simca Chambord, junto ao seu último parceiro de músicas, Laurípio Pedroso e mais cinco pessoas, em um trágico acidente na Rodovia Raposo Tavares, em Itapetininga.


O músico e compositor ganhou uma estátua após 50 anos de morte. O monumento foi instalado no Largo dos Amores, no Centro de Itapetininga, por iniciativa do MIS- Museu da Imagem e do Som de Itapetininga.


Na entrada da cidade de Ouro Fino, MG, construíram um monumento ao compositor, com mais de 10 metros de altura.



©2020 desenvolvido por Commark Comunicação e Marketing