Professores de Itapê

Algumas pessoas se perpetuam na nossa vida, deixam mensagens que nunca se apagam das nossas mentes, que se tornam aprendizados que levamos para sempre conosco. Marcaram a formação de todos nós. Nos fizeram repensar nosso lugar no mundo e a importância do nosso modo de estar nele. Eu admiro profundamente e tenho uma grande estima pelos professores.

 

CARINHO

Obrigado por se dedicar ao seu trabalho com tanto entusiasmo, carinho e verdade. Vocês fazem seus alunos se sentirem especiais e pessoas capazes de alcançar os sonhos. As lições que aprendi com vocês estarão sempre comigo. Os seus ensinamentos foram muito além dos conteúdos do currículo. Tivemos aprendizados importantes para a vida. A missão de vocês vai muito além de um professor, vocês são verdadeiros mestres.

 

HISTÓRIA

Dia do Professor - Começou no Brasil Imperial. No dia 15 de outubro de 1827 (dia consagrado à educadora Santa Teresa de Ávila), Pedro I, Imperador do Brasil, baixou um Decreto Imperial que criou o Ensino Elementar no Brasil. Pelo decreto, “que todas as cidades, vilas e lugarejos tivessem suas escolas de primeiras letras”. Esse decreto falava basicamente da descentralização do ensino, do salário dos professores, das matérias básicas que todos os alunos deveriam aprender e até sobre como os professores deveriam ser contratados. As Escolas de Primeiras Letras (hoje, ensino fundamental) deveriam ensinar, para os meninos, a leitura, a escrita, as quatro operações de cálculo e as noções mais gerais de geometria prática.

 

DEPOIS

Cento e vinte anos depois do decreto, em 1947, surgiu a ideia de transformar a data em feriado e iniciou a tradição de homenagear os professores no dia 15 de outubro, em referência ao decreto de D. Pedro I. Um grupo de quatro educadores, liderados por Samuel Becker, teve a ideia de organizar um dia de folga, para amenizar a estafa. O dia também serviria como uma data para se analisar os rumos do restante do ano letivo. A sugestão foi aceita e a comemoração teve presença maciça de professores e alunos, que levavam doces de casa, para uma pequena confraternização.

 

MERITÓRIOS

São merecedores dos mais calorosos aplausos, são homenageados e venerados com respeito. Tanto aquele que trabalha ou trabalhou nos recônditos sertões, sítios, em precárias escolas, como aqueles nas sofisticadas, famosas e sisudas universidades.

 

ITAPETININGANOS

Em Itapetininga, Terra das Escolas, honraram ou ainda honram a cátedra, professores de alto gabarito, como Graco da Silveira, Tonico Alves, Paulo Rage, Juliana Fabiano Alves, Modesto Tavares, Hilda Weis, Eduardo Soares, Ernesta Rabelo Orsi, Eliziário Martins de Mello, Neusa Aboarrage, Cidinha Vendramini, Abigail Vieira de Moraes, Tereza Válio, Angelina Hungria, Nazaré Rosa Rezende, Angelina Martins, Hilda Cardoso, Alberto Isaac, Irene Isaac, Dulce Palomo, Joaquim Fabiano Alves, Tales Galvão, Ísola Vendramini, Margarida Blóes, Nazira Iared, Walquiria Sacco, Vancley Sacco... e tantos outros grandes educadores que não conseguirei listar neste pequeno texto. A todos os meus mais profundos respeitos e gratidões.

 

- Por 35 anos fui professor. E nas páginas da TOP homenageio a todos os professores de Itapetininga nas pessoas de alguns colegas nas fotos que ilustram essa matéria. Foto 1: Professores da Escola Peixoto Gomide em 2008; Foto 2:  Professores Escola Fernando Prestes em 2009; Foto 3: Professores Terezinha Matarazzo, Antonio Pontes, Ivan Barsanti e Newton Albuquerque; Foto 4:  Professores Rejane Ruzza, Flavio Godoy, Reinaldo Luiz Vieira (in memorian) e Rejane Vieira; Foto 5: Professora Dirce Lembo. Sem exceção, todos são dignos e proficientes em sua excelsa virtude de ensinar. Parabéns a todos nós!

©2018 desenvolvido por Gustavo Matheus